Jesus teve irmãos?

Um dos motivos de debate acirrado entre cristãos e protestantes gira em torno deste questionamento.

Desejo levar você a um breve estudo, baseado principalmente na Bíblia, como sempre, para que não haja mais dúvidas, questionamentos e para que consiga demonstrar a qualquer um o erro em que incorre ao responder “sim” a esta pergunta.

Pois bem, segundo as pessoas que afirmam veementemente que Jesus teve irmãos, os mesmos eram: Tiago, José, Simão e Judas. Isso é o que eles afirmam lendo Mt 13, 55 e Mc 6, 3.
Acreditam ainda que São Paulo confirma isto na carta aos Gálatas: “Três anos depois subi a Jerusalém para conhecer Cefas [Pedro], e fiquei com ele quinze dias. E dos outros apóstolos [que estão em Jerusalém] não vi a nenhum, senão a Tiago, irmão do Senhor” (Gl 1,18-19).

Conforme a citação paulina acima, o referido Tiago é, de fato, um Apóstolo.
Mas segundo as listas dos evangelhos sinóticos (Mateus, Marcos e Lucas), existiram dois apóstolos com o nome Tiago:

Eis os nomes dos doze apóstolos: o primeiro, Simão, chamado Pedro; depois André, seu irmão. Tiago, filho de Zebedeu, e João, seu irmão. Filipe e Bartolomeu. Tomé e Mateus, o publicano. Tiago, filho de Alfeu, e Tadeu. Simão, o cananeu, e Judas Iscariotes, que foi o traidor” (Mt 10, 2-4) (grifos meus).

Escolheu estes doze: Simão, a quem pôs o nome de Pedro; Tiago, filho de Zebedeu, e João, seu irmão, aos quais pôs o nome de Boanerges, que quer dizer Filhos do Trovão. Ele escolheu também André, Filipe, Bartolomeu, Mateus, Tomé, Tiago, filho de Alfeu; Tadeu, Simão, o Zelador;  e Judas Iscariotes, que o entregou” (Mc 3,16-19) (grifos meus).

Ao amanhecer, chamou os seus discípulos e escolheu doze dentre eles que chamou de apóstolos: Simão, a quem deu o sobrenome de Pedro; André, seu irmão; Tiago, João, Filipe, Bartolomeu, Mateus, Tomé, Tiago, filho de Alfeu; Simão, chamado Zelador; Judas, irmão de Tiago; e Judas Iscariotes, aquele que foi o traidor” (Lc 6,13-16) (grifos meus).

Pudemos observar que: um Tiago era filho de Zebedeu e o outro filho de Alfeu. Agora eu pergunto aos meus irmãos protestantes: o que tem Zebedeu e Alfeu com Santa Maria, Mãe de Jesus? Absolutamente nada!
É ponto pacífico que Maria, mãe de Jesus só foi casada com São José, e que não foi casada depois.

Mas continuemos o nosso exame…

Agora, precisamos distinguir os Tiagos.
O Tiago, filho de Alfeu, era também chamado de “o Menor”, conforme:
E também estavam ali algumas mulheres, olhando de longe. Entre elas estavam Maria Madalena e Maria, mãe de Tiago o menor e de José, e Salomé” (Mc 15,40) (grifos meus).

Este Tiago que era irmão de José, não é filho de Zebedeu conforme vemos em São Mateus:

Havia ali também algumas mulheres que de longe olhavam; tinham seguido Jesus desde a Galiléia para o servir. Entre elas se achavam Maria Madalena e Maria, mãe de Tiago e de José, e a mãe dos filhos de Zebedeu” (Mt 27,55-56) (grifos meus).

Portanto, concluímos que Tiago, o Menor, era filho de Alfeu e irmão de José.
Podemos então distinguir os dois “Tiagos” da seguinte forma: Tiago, o Maior, é filho de Zebedeu e Tiago, o Menor, é filho de Alfeu.

E quem são os irmãos dos Tiagos?
Os filhos de Zebedeu são Tiago (o Maior) e João (cf. Mc 3,16; Mt 10,2).
Os filhos de Alfeu são Tiago (o Menor), Judas Tadeu e José (cf. Mt 10,3; Mc 3,18; Lc 6,15; At 1,13).

Como vimos no início deste post, São Paulo chama um dos “Tiagos” de “irmão do Senhor”. Descobrimos que ele é um dos filhos de Zebedeu ou de Alfeu, e não de José, portanto, não é irmão de sangue do Senhor Jesus.

Através de estudo, podemos descobrir que o Tiago referido por São Paulo como irmão de Jesus, é justamente o filho de Alfeu. Pois, quando São Paulo escreveu a Carta aos Gálatas, Tiago (o Maior, irmão de João) já havia sido morto após perseguição de Herodes:

Por aquele mesmo tempo, o rei Herodes mandou prender alguns membros da Igreja para os maltratar. Assim foi que matou à espada Tiago, irmão de João” (At 12,1-2) (grifos meus).

E como descobrimos acima, este Tiago referido por São Paulo em Gálatas, que é “o Menor”, tem como irmãos Judas Tadeu e José.

Ora, exatamente os nomes Tiago, Judas e José que encabeçam a lista dos “irmãos” de Jesus na lista dos Evangelistas citada no início do post.

Agora resta o seguinte questionamento: quem era Simão???

Quando Mateus e Marcos elencam o nome dos apóstolos, sempre colocam os nomes dos irmãos em seqüência. Podemos ver:

Tiago, filho de Alfeu, e Tadeu. Simão, o cananeu (…)” (Mt 10,3-4) e
“(…) Tiago, filho de Alfeu; Tadeu, Simão, o Zelador” (Mc 3,18).

Não existe nada explícito na Bíblia a respeito dos pais desse Simão.
Mas o historiador Hegezipo declara que ele era filho de Cléofas, irmão de José (HE III, 11)

E se Cléofas e Alfeu são nomes em hebraico e aramaico da mesma pessoa, como pensam muitos, os quatro chamados “irmãos de Jesus” são entre si, irmãos carnais.

E, segundo a Bíblia, Cléofas (Alfeu) era esposo de Maria, irmã da Mãe de Jesus (cf. Jo 19, 25 e Mt 27, 56).

Enfim, descobrimos que, conforme a Igreja sempre defendeu, conforme a Bíblia afirma e conforme a memória dos primeiros cristãos: Tiago, José, Judas Tadeu e Simão são irmãos entre si, filhos de Alfeu (Cléofas), que é esposo de Maria, irmã da Mãe de Jesus.
Portanto, eles são primos de Jesus.

Esperando clarear todas as dúvidas, encerro aqui a minha contribuição para o seu conhecimento.

Em Jesus e Maria!

Anúncios

27 Respostas

  1. Daniel Silva,

    A resposta é SIM. Veja os irmãos de Jesus por parte de mãe, filhos de José e Maria em Mt 13: 54-56 onde se lê claramente:”E Ele, havendo chegado à Sua própria pátria, os ensinava na sinagoga deles, de forma que eles se maravilhavam, e diziam:
    “De onde veio a Este esta sabedoria, e estas maravilhas?
    55 Não é Este o filho do carpinteiro? E não é chamada a Sua mãe Maria, e (não são chamados) Seus irmãos Tiago, e José, e Simão, e Judas?
    56 E não estão entre nós todas as Suas irmãs? Portanto, de onde veio tudo isto a Este?”

    Veja também que eles passaram a crer em Jesus depois de sua ascensão (Jo 7:1-5; At 1:14), de se lê claramente: “Todos estes estavam firmemente continuando em uma mesma harmonia em oração e súplica, juntamente- com as mulheres, e juntamente- com Maria a mãe de Jesus, e juntamente- com os irmãos dEle.”

    Eu estou lhe falando e você não me acredita mas as mentes dos líderes católicos são árvores que não dão bons frutos.

    José da Silva

  2. Pelo visto, leu e não entendeu…

  3. vc e catolico????

  4. Seja o que for o que importa?

    Ou as nossas mães pecaram quando nos fizeram, quando nossos pais as conheceram?

    Se José não a conheceu, foi por que não quis, pois poderia depois de Maria dar à luz. E não seria pecado nenhum, nem dele e nem dela, pois foram orientados em tudo pelo anjo. Conforme bem mostra o texto abaixo:

    “E José, tendo despertado do sono, fez como o anjo do Senhor lhe ordenara, e recebeu sua mulher; E NÃO A CONHECEU ENQUANTO ELA NÃO DEU À LUZ UM FILHO; e pôs-lhe o nome de JESUS.”(Mateus 1:24,25).

  5. O que importa?
    Você acha que Jesus deveria ter nascido com a herança do pecado original?

    Albérisson, o versículo que você citou não invalida em nada o dogma da virgindade perpétua de Nossa Senhora.
    Você, erradamente, acha que José não a conheceu enquanto ela não deu à luz um filho, mas depois conheceu.
    Errado, meu irmão.
    “até que” é, na Bíblia, um hebrismo que significa “Sem que”

    Significa, então, que Maria “deu á luz sem que José A tivesse conhecido”, e nada mais.

    São incontáveis os exemplos disso na Bíblia.
    Eis apenas um: “O coração do justo está firme e não temerá > veja confundidos os seus inimigos” (Salmos 111,8).
    Ora, se não temeu antes, não temerá depois. O sentido é: “os inimigos serão confundidos sem que o coração do justo tema”.

    Assim Mateus quis apenas afirmar que “Maria concebeu sem participação de José”.

    Paz e bem!

  6. O Filho de Deus foi gerado pelo Espírito Santo no ventre da agraciada Maria.
    Para que se cumprisse o que foi dito pelo profeta Isaías: “Uma virgem conceberá”.
    Jesus é o segundo Adão. O pecado entrou no mundo por Adão, pela desobediência.
    Jesus foi tentado e nunca pecou. O próprio Deus desceu sobre Maria e o poder do Altíssimo a envolveu.
    Nem Maria nem José tinham em seu coração serem solteiros, eles pretendiam se casar. Deus antes que houvesse qualquer relação entre eles enviou Gabriel com sua boa notícia. O próprio Jesus falou sobre o eunuco, “há uns que se fazem eunucos, outros já nascem assim”. José temeu e não quis infamar Maria. Porém o anjo o tranqüilizou.
    Não seria justo da parte de Deus – Maria e José, que não nasceram com o dom para serem solteiros serem obrigados a ficar sem se conhecer depois do nascimento do Mestre.
    O pecado não está ligado ao sexo, e sim à desobediência e Jesus nunca desobedeceu.
    E nossos pais quando têm relação entre eles não pecam, pois é um casamento abençoado por Deus. A santidade não está ligada a falta de relação entre o casal, muito pelo contrário, o sexo é algo que Deus preparou com muito carinho para nós usufruírmos, em santidade, dentro do casamento.
    Paz, e um bom casamento para quem assim tem em seu coração fazer.
    E um bom celibato para os que nasceram com este dom.
    Paz, Verdade e Santidade.
    Que o amor de Deus esteja com todos nós.

  7. Albérisson,

    vc disse:
    “Não seria justo da parte de Deus – Maria e José, que não nasceram com o dom para serem solteiros serem obrigados a ficar sem se conhecer depois do nascimento do Mestre.”

    Pois bem, esta é a sua opinião, mas saiba que é extra-bíblica.

    vc disse:
    “A santidade não está ligada a falta de relação entre o casal, muito pelo contrário, o sexo é algo que Deus preparou com muito carinho para nós usufruírmos, em santidade, dentro do casamento.”

    Concordo, meu caro, eu não disse que o sexo dentro do casamento é pecado.

  8. meu querido, que a paz do Senhor esteja contigo!!
    bom, ñ sou nenhum teologo ou estudante da palavra (bíblia), mas sou firmado em uma fé na pessoa de Jesus Cristo, e, quando no começo você afirma que existem cristãos e protestantes você comete um erro grosseiro, pois o protestante é protestante porque protesta contra a IDOLATRIA da Igreja Católica Apostolica Romana, e não contra Cristo, se você tem um pouco de conhecimento histórico e teologico você vai entender o que estou falando, você lembra de ter estudado que por volta do século 3º ao 4º a Igreja que foi fundada por Cristo e que teve sua iniciação em Jerusálem não custumava adorar a imagens de esculturas nem tão pouco a mãe de Jesus (Maria), porém em um concilio de pessoas descompromissadas com Deus decidiram que deveriam prestar culto a Maria, e optar em lançar para a midia da epoca que a virgindade de Maria teria se perpetuado para que assim se fundasse o primeiro dogma de uma instituição que pretendia dominar o mundo (não se esqueça que estou falando do Império Romano) por haver sido corrompida em deixar que céticos Romanos obtivessem cargos de importancia na organização (Igreja), se uniram a Roma (o Estado Romano), fazendo assim com que todos os custumes pagãos que Roma tinha fossem introduzidos na Igreja do Senhor, a exemplo, (que se diga de passagem, os judeus nunca adoraram humanos, nunca prestaram culto a humanos, era e é um principio cristão, somente adoraras o Senhor teu Deus, poderia citar várias e várias passagens biblicas que condenam a quem prestam culto a outro ser humano ou outor deus, confundir a santidade de Maria para com Deus, em dever adora-la é um absurdo espiritual, ( quem é oniciente? Deus ou Maria? maria pode ouvir 4.987.879.932 cristãos ao mesmo tempo e respondelos? meu querido Maria foi e deve ser respeitada e ser exemplo de uma mulher temente a Deus, e sim, seus exemplos copiados, pois tudo o que vem de Deus é bom, ela foi uma mulher de Deus fenomenal, mas isso, de genesis a apocalipse em nenhum momento da autorização para que eu a adore ou preste culto ou acredite que ela me esculta, seja inteligente, Deus é oniciente, onipotente e onipresente, e não há outro que deve ser adorado pois Deus não divide sua glória com ninguem, meu querido abra seus olhos espirituais e peça para aquele que é eterno te conduza para a verdadeira adoração e tire você desse objeto de Abominação para com Deus, é biblico, Abominação é prestar culto a outro a não ser para o todo poderoso Jeová (DEUS).

  9. Meu caro,
    Procure o tópico “Católico adora imagens?”, e conhecerá a verdade a respeito disto.
    Sinta-se a vontade para deixar seu comentário lá.
    Que Deus te ilumine para que encontre o caminho da adoração em espírito e em verdade, na Igreja que ele estabeleceu sobre esta Terra.
    Paz e bem!

  10. Com todo o respeito a cada um dos amados que escreveram suas opiniões aqui. Tenho todos em honra e respeito. Mas estas discussões se assemelham a um cachorro que corre atrás do próprio rabo. Não levam e nem edificam em nada. Um dia, todos estaremos face a face com o Senhor Jesus Cristo. Então assentados ali na frente dele, tiraremos todas as nossas dúvidas. Paz a cada um dos amados. Temos coisas mais importantes para fazermos. Vamos pregar a palavra de Deus. No final Ele, o Senhor honrará os seus.

  11. o grande problema é que os católicos agem de uma maneira incontestável, maria tornou-se uma mulher normal como qualquer mulher, se a palavra de DEUS revela que JESUS teve irmãos, porque duvidamos da verdade, não existe religião certa, existe a palavra DEUS que é correta, não duvide meu irmão da palavra de DEUS. Agora existe religião que acha que é a certa, porque foi a que DEUS deixou, não meu irmão DEUS não nenhuma religião, deixou o evangelho, e acabam ensinando as pessoas a fazer coisas que é abonimável a palavra de DEUS, será se essas pessoas lêem a palavra de DEUS corretamente.

  12. Neide,

    Vc realmente leu o texto do tópico?
    Se leu não entendeu, ou não quis entender.

    “Quem tem ouvidos para ouvir, ouça!” (Mc 4,9)

  13. É lógico que Maria não morreu virgem!!!

    O texto é claro (dentro do contexto) quando diz que José não a conheceu “até” ou “enquanto” (heos, hou) ela não deu à luz. Ora Daniel, pelo contexto aplicado é lógico que devemos entender (ou subentender) que Maria teve relações sexuais com José como qualquer casal judeu normal de seu tempo.

    Mas sei que devemos concordar, em parte, com vc quando em seu comentário um pouco acima vc diz que o termo “até que” era colocado como um “hebrismo”…( mais isto as vezes!!!!!!)

    Há casos em que Mateus usa a preposição “até” para dizer que não houve mudança após a ocorrência de determinado evento. Por exemplo, “Não esmagará a cana quebrada, e não apagará o pavio que fumega, até que faça triunfar o juízo” (Mt 12.20). É claro que o texto não está dizendo que o manso Messias será um ditador cruel após o triunfo do juízo. Olha, até outros textos podemos usar de exemplo para exprimir este “hebrismo” tais como Salmo 110.1 e 1 Timóteo 4.13.

    Mas podemos ver Mateus usando a preposição “até” (que indica um limite de tempo, nos espaços, ou nas ações) quando o contexto diz claramente que há mudança. Vejamos:

    “E, havendo eles se retirado, eis que um anjo do Senhor apareceu a José em sonho, dizendo: Levanta-te, toma o menino e sua mãe, foge para o Egito, e ali fica até que eu te fale; porque Herodes há de procurar o menino para o matar” (Mt 2.13).

    Mas mesmo assim não tomarei este trecho isolado para contestar o tópico!!!!

    A palavra “conhecer” é usada na Bíblia de modo figurado, significando relação sexual (Gn 4.25), e, neste caso, o contexto apóia este sentido.

    Ah, o evangelista Lucas pode nos ajudar. Ele, em seu evangelho usou a palavra grega pro¬totokos, que significa “Primogênito”, em relação ao nascimento de Cristo: “e teve a seu filho primo¬gênito…” (Lc 2.7).

    Se Lucas quisesse dizer que Jesus foi o único filho de Maria, teria usado a expressão monogenes (unigênito, em português) que significa “FILHO único gerado”, como acontece em João 3.16. Mas não, ele usou, de modo consciente, o termo certo: “primogênito”, indicando que Jesus foi apenas o “primeiro” filho de Maria, e não o “único”. Lucas, inspirado pelo Espírito Santo, ao escrever seu evangelho não teria se equivocado!!!!!!!!!

    Mas o autor do blog fez um verdadeiro malabarismo (bastante engenhoso por sinal) com os textos de Marcos 6.3, 3.18, 15.14, 16.1 e João 19.25 Ao dizer que Maria, mãe de Tiago (o menor) e de José é irmã de Maria (a mãe de Jesus) e mulher de Cleofas, a quem confundem com Alfeu. Resumindo: esses “irmãos” (Tiago e José) de Marcos 6.3, segundo essa teoria, na verdade seriam primos de Jesus. Uma explicação plausível e uma suposta base “bíblica” para a questão. Ledo engano só para sustentar um dogma criado em 1854, (a “Imaculada Conceição de Maria”)

    Contudo, não há nada no texto que insinua ser Alfeu cunhado de Maria! Naquela época, esses nomes eram comuns! Demais disso, a Bíblia não relata o nome da irmã de Maria, e é pouco provável que duas irmãs tivessem o mesmo nome. Suponhamos, por um momento, que isso fosse verdade! Não é estranho que esses personagens apareçam sempre junto a Maria, sua “tia”, e nunca junto à sua verdadeira mãe ?!

    Não adianta colocar o argumento inócuo de que os irmãos de Jesus eram seus discípulos, pois a bíblia deixa bem clara a distinção entre ‘seus discípulos” e os “irmãos” do Senhor (Jo 2.12; At 1.13,14). Todavia, a ¬maior dificuldade enfrentada por esse argumento é que o texto diz que nem “seus irmãos criam nele” (Jo 7.3,5,10). Ora, como então poderiam ser seus discípulos?!

    Mas preste atenção!! Não existe um só caso no Novo Testamento (como em toda Bíblia) em que a palavra grega adelphós (irmão) é traduzida por primo ou parente.

    Além disso os escritores deviam saber muito bem a diferença entre irmão (adelphós), primo (anepsiós) e parentes (sungenes)…

    Veja o que o Apóstolo Paulo disse (lembrando que esta usava muita metáfora, e sabia muito bem fazer distinção entre os termos) :

    “Não temos nós direito de levar conosco esposa crente, como também os demais apóstolos, e os irmãos do Senhor, e Cefas?” (1Co 9.5).

    “Mas não vi a nenhum outro dos apóstolos, senão a Tiago, irmão do Senhor” (Gl 1.19). texto usado pelo autor do blog em seu tópico.

    É interessante, o apóstolo Paulo sabia perfeitamente usar a palavra correta para primo (anepsiós) e parente (sungenes) em suas epístolas.
    Não havia motivo de confusão! “Saúda-vos Aris¬tarco, meu companheiro de prisão, e Marcos, o primo de Barnabé…” (Cl 4.10). “Saudai a Herodião, meu parente” (Rm 16.11).

    Daniel, se essa tese estivesse correta o apóstolo poderia muito bem ter usado a expressão hoi anepsiós Kyriou (primos do Senhor), e não adelphói tou Kyriou (irmãos do Senhor), até porque os irmãos de Jesus estavam vivos quando o apóstolo escreveu as duas epístolas.

    Porque vc não tenta fazer uma exegese do texto de Salmos 69, sei que qualquer estudioso teólogo deve entender que se trata de um salmo messiânico…então não é vc que irá discordar!!!e no verso 8 vemos que o autor descreve perfeitamente a família de Jesus:

    “Tornei-me como um estranho para os meus irmãos, e um desconhecido para os filhos de minha mãe”.

    Ahh..e vc pode me responder pq Jesus deixou sua mãe aos cuidados de João e não de seus irmãos???

    Paz a todos!!!

  14. Ah !! já ia me esquecendo…

    Em todos os seus artigos vc ataca os “protestantes”!!! e bem no começo deste, vc separa propositalmente cristãos e protestantes!!!

    Uma pena!!! poderia-se ter um debate mais prolongado em que todos poderiam ganhar em conhecimento…mas esse desmerecimento que seu artigo traz, faz não valer a pena!!!

  15. Henrique,

    Eu não ataco os protestantes. Eu defendo a minha fé.
    Quem protesta são os protestantes. Eu continuo firme na fé.

    Aliás, vc reclamou da distinção que eu fiz entre cristão e protestante. Mas eu digo que ela é justa, pois não há como dizer-se cristão e não acreditar no Evangelho em sua totalidade.

    Ademais, sobre seu comentário a respeito dos irmãos (supostos “de sangue”) de Jesus.

    Julgo completamente coerente seu comentário a respeito da expressão “até que”.

    Mas:
    1º) Vc há de concordar que não haveria razões para Mateus fazer o comentário a respeito de relações sexuais entre José e Maria, mas que era importante passar a mensagem para os gentios de que Jesus foi concebido sem que Maria precisasse ter relações sexuais, comprovando, portanto, que Ele era filho de Deus.
    O objetivo de Mateus era dizer que Jesus era filho de Deus, e não dizer José e Maria mantiveram relação sexual.
    Portanto, podemos perceber que a expressão “até que” segue os exemplos das expressões citadas por mim anteriormente.
    Vc tenta adaptar a mensagem do Evangelho (Jesus, filho de Deus) à sua crença (Maria e José mantiveram relações sexuais).

    2º) Se Mateus tivesse se referido aos “irmãos” de Jesus como se fossem irmãos de sangue, certamente teria citado cada um deles na genealogia do capítulo 1. Mas não o fez, porque não existiram.

    3º) Se Maria não tivesse permanecido Virgem, São Lucas não teria assim se referido a ela (Lc 1, 27) quando escreveu o Evangelho por volta de 80dC.

    4º) O objetivo de Lucas ao se referir a Jesus como primogênito não é dizer que ele teve outros irmãos. Mais uma vez, vc tenta adaptar a mensagem do Evangelho à sua crença. Aliás, primogênito quer dizer primeiro, independente de existirem outros. Um filho único não é primogênito???
    Mas vamos ‘a mensagem de Lucas:
    E deu à luz seu filho primogênito, e, envolvendo-o em faixas, reclinou-o num presépio; porque não havia lugar para eles na hospedaria.” (Lc 2, 7)

    “Concluídos os dias da sua purificação segundo a Lei de Moisés, levaram-no a Jerusalém para o apresentar ao Senhor,
    conforme o que está escrito na lei do Senhor: Todo primogênito do sexo masculino será consagrado ao Senhor; “
    (Lc 2, 22-23)

    Podemos reparar que a mensagem de Lucas não é dizer que Jesus foi o primogênito de outros irmãos, mas dizer que Jesus foi circuncidado conforme a Lei de Moisés, pois era descendente da tribo de Judá, da descendência de Davi. E portanto, o Messias citado nas profecias, filho de Deus. Pelo mesmo motivo, Mateus começa o Evangelho citando a genealogia de Cristo.

    Por tudo isto, podemos perceber que a expressão “até que”, também no caso de (Mt 1, 25), significa “sem que”.

    Henrique, muito cuidado com suas interpretações…

  16. Não estou interpretando mal…só estou mostrando a imensidão de provas bíblicas contra esta doutrina extra-bíblica…

    Se maria não teve pecado então como o Apóstolo Paulo se atreve a garantir que não há sequer um justo, se existia a exceção de Maria? Como é que Deus escreveu por meio dos seus santos profetas e apóstolos, colunas da verdade revelada, que não há nem um só justo, se estava a Virgem Imaculada concebida sem pecado?

    Veja o que Maria mesmo disse ” “A minha alma engrandece ao Senhor; e o meu espírito se alegra em Deus meu Salvador” (Lucas 1.46-47). Se ela não fosse pecadora, não teria a necessidade de um Salvador.

    A Bíblia é bem clara em mostrar a doutrina da universidade do pecado:

    “Certamente em iniqüidade fui formado, e em pecado me concebeu a minha mãe” (Salmos 51.5);

    “Não há homem justo sobre a terra, que faça o bem e nunca peque” (Eclesiastes 7.20);

    “Pois todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus” (Romanos 3.23).

    Nessas passagens não se indica a exceção de Maria; ela como descendente de Adão, participou não só das conseqüências da queda, senão também do pecado; “Pelo que, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens, porque todos pecaram… assim como por uma só ofensa veio o juízo sobre todos os homens” (Romanos 5.12-18).

    Se todos os homens herdam a mancha do pecado, os pais da virgem Maria também a herdaram, e os seus filhos foram igualmente herdeiros da natureza pecaminosa do homem. Não há nenhuma base para crer que alguns dos seus filhos a herdaram, enquanto que a sua filha Maria não a herdou.

    Porque, pela mesma razão, tinha sido necessário que fossem imaculados os seus pais Joaquim e Ana, para que pudesse ser a virgem, e as avós para que o fosse Ana; assim sucessivamente, e assim deveríamos estabelecer que foi uma cadeia ininterrupta de mulheres, desde Eva. Esses argumentos não lhe soam ridículos? Se em algum caso tinha que operar-se o milagre de nascer um imaculado, seja quem for, deveria ter sido Jesus, que era divino.

    Aliás, Porque os Pais da igreja primitiva não confirmaram esse dogma???

    Veja uma declaração de EUSÉBIO de Cesaréia: (265-340): “Ninguém está isento da mancha do pecado original, nem mesmo a mãe do Redentor do mundo. Só Jesus achou-se isento da lei do pecado, mesmo tendo nascido de uma mulher sujeita ao pecado.”

    Santo Ambrósio, Doutor da Igreja e Bispo de Milão (século IV), comentando Salmos 118: “Jesus foi o único a quem os laços do pecado não venceram; nenhuma criatura concebida pelo contato do homem e da mulher foi isenta do pecado original; só foi isento Aquele que foi concebido sem esse contato e de uma virgem, por obra do Espírito Santo.”

    Santo Agostinho, Doutor da Igreja (354-430), comentando Salmos 34:3, diz: “Maria, filha de Adão, morreu por causa do pecado; e a carne do Senhor, nascida de Maria, morreu para apagar o pecado.”

    E então o que dizer quanto à declaração de Alguns “PAPAS”:

    leão I (440-461) diz: “Assim como nosso Senhor não encontrou a ninguém isento de pecado, assim também veio para o resgate de todos” (Considerando a Imaculada conceição de Maria, não estaria errada a declaração deste papa????)

    lnocêncio III diz: “Eva foi formada sem culpa, e engendrou na culpa; Maria foi formada na culpa, e engendrou sem a cuIpa.”

    Gregório, o Grande, cuja sabedoria todos reconhecem, comentando a passagem de Já 14:4, expressa que Jesus Cristo é o único que não foi concebido de sangue impuro e o único também que foi verdadeiramente puro em sua carne. Não faz menção de Maria

    E ainda: “PELO QUE, COMO POR UM HOMEM ENTROU O PECADO NO MUNDO, E PELO PECADO A MORTE, ASSIM TAMBÉM A MORTE PASSOU A TODOS OS HOMENS, PORQUE TODOS PECARAM” (Rm 5.12). Ora, “semente gera semente da mesma espécie”.

    E temos o seguinte texto em que Mateus fala de José, esposo de Maria : “MAS NÃO A CONHECEU ATÉ QUE ELA DEU À LUZ UM FILHO. E ELE LHE PÔS O NOME DE JESUS” (Mt1.18-20, 24-25) .” ( não a conheceu de que modo??? – bem, há quem busque outras fontes, mas a Bíblia é bem clara, assim como o meu comentário um pouco mais acima neste blog)

    Mas deixo bem claro, que eu honro Maria como honro todos os critãos, e ela realmente foi bendita entre as mulheres, pois foi escolhida para dar a luz a Jesus Cristo…Sei que nao há felicidade maior para uma mulher…mas não posso exaltá-la como rainha dos céus, pois não é!!!

    • Você Acha que de cajueiro sai maçã? Ou de abacateiro frutifica acerolas? Da mesma forma o Santo dos Santos Jesus só poderia nascer de outra Santa: Maria. “Se um dia um anjo declarou a mando de Deus que Maria era cheia de graça, agora penso quem sou eu para também não dizer!”

      “E todas as gerações A proclamaram Bem-aventurada”! (TODAS AS GERAÇÔES!!!!)

  17. Paz a todos!!!

  18. Henrique,

    Sua interpretação incorreta ficou evidente. Seja honesto!
    Vc não confessou, mas acredito, sinceramente, que vc reconheceu seus erros quanto ‘a expressão “até que” e à palavra “primogênito”.

    Vc continua com seus erros interpretativos que acabam por colocar a Bíblia em contradição.
    Conforme vc e sua interpretação a respeito das palavras de São Paulo, Adão e Eva foram gerados com a mancha do pecado, não é? Ou São Paulo se esqueceu deles?

    Maria foi concebida sem pecado. Seu corpo não poderia ser manchado com o pecado original, pois iria receber o Salvador, o Verbo que se fez Carne em seu ventre!
    Seu corpo foi templo do Filho de Deus, Sacrário vivo!

    Deus, que pôde conceder a Eva a graça de vir ao mundo imaculada, não teria podido concedê-la também a Maria, que receberia Cristo em seu ventre?

    Quando Deus eleva alguém a uma alta dignidade, também o torna apto para exercê-la. Portanto tendo eleito Maria para Sua Mãe, por Sua graça a tornou digna de ser livre de todo o pecado, mesmo venial; caso contrário, a ignomínia da Mãe passaria para o Filho.

    O Altíssimo santificou seu tabernáculo; Deus está no meio dele” (Sl 45,5);

    Se é pelo fruto que se conhece a árvore (Mt 7,16-20), então, obviamente, como o Cordeiro foi sempre imaculado, sempre pura também foi Sua Mãe.

    Maria conviveu com Jesus por 33 anos, e enquanto Ele ainda era uma criança, ela “guardava coisas em seu coração, e Jesus crescia em estatura, em sabedoria e graça, diante de Deus e dos homens.” (Lc 2, 51-52)

    Vc acredita realmente que Deus não é capaz de vencer a herança do pecado original a fim de realizar seu plano salvífico?

    Vc acredita realmente que Jesus foi gerado dentro de um ventre impuro? É possível que a água límpida seja armazenada em um recipiente impuro, sem que ela também fique impura?

    Vc acredita realmente que uma pecadora guardou ensinamentos no coração de Jesus, fazendo com que Ele crescesse em sabedoria e graça perante Deus e perante os homens?

    Eu prefiro acreditar na Bíblia!

    Vc, e todo protestante, acusa-nos de utilizar fontes extra-bíblicas.
    No entanto, vc novamente cai em contradição ao tentar utilizar supostas citações dos santos da Igreja.
    Seria interessante que vc citasse as bibliografias destas citações. De onde elas foram tiradas?

    Por exemplo:
    · “Entre todas as mulheres, Maria é a única a ser, ao mesmo tempo, Virgem e Mãe, não somente segundo o espírito, mas também pelo corpo. Ela é mãe conforme o espírito, não d’Aquele que é nossa Cabeça, isto é, do Salvador do qual ela nasceu, espiritualmente. Pois todos os que nele creram – e nesse número ela mesma se encontra – são chamado, com razão”, filhos do Esposo” [Mt 9,15]. Mas, certamente, ela é a mãe de seus membros, segundo o espírito, pois cooperou com seu amor para que nascessem os fiéis na Igreja – os membros daquela divina Cabeça – da qual ela mesma é, corporalmente, a verdadeira mãe” (S. Agostinho, “A Virgindade Consagrada 6,6”, 401 d.C.).

    · “Maria permaneceu Virgem concebendo seu Filho, Virgem ao dá-lo à luz, Virgem ao carregá-lo, Virgem ao alimentá-lo de seu seio, Virgem sempre” ( Santo Agostinho, sermão, 186, 1: Pl 38, 999 ).

    Desta forma, podemos reparar, que nem quando o protestante usa fontes extra-bíblicas ele acerta em suas interpretações e cria contradições. Além de apresentar falsas citações.
    Vemos que as declarações de Santo Agostinho são completamente contrárias às declarações que você (ou algum site protestante) tirou do bolso.

    Ao final de seu comentário, vc ainda insiste na expressão “até que“.
    Seja honesto! Vc sabe que a mensagem do evangelista era “Jesus, filho de Deus” e não “Maria e José mantiveram relações sexuais”. Leia novamente meu comentário anterior. Leia, releia…

    Caso continue insistindo e repetindo com argumentos que já foram refutados e explicados através de estudo bíblico, serei mais rigoroso ao moderar seus comentários, pois está começando a se tornar chato e sem fundamento.

    Desculpe-me pela dureza, mas é chato ficar repetindo toda vez a mesma coisa para a mesma pessoa…

    Estou aguardando a bibliografia das citações de vc utilizou, para que eu possa pesquisá-las.

    A Paz!

  19. Você conhece estas duas bíblias católicas????

    A BÍBLIA DE JERUSALÉM, Paulus Editora, 1973, 8a impressão em janeiro/2000, rubricada em 1.11.1980 por Paulo Evaristo Arns, Arcebispo Metropolitano de São Paulo.

    BÍBLIA SAGRADA, Edição Ecumênica, tradução do padre Antônio Pereira de Figueiredo; notas e dicionário prático pelo Monsenhor José Alberto L. de Castro Pinto, Bispo Auxiliar do Rio de Janeiro; edição aprovada pelo cardeal D. Jaime de Barros Câmara, Arcebispo do Rio de Janeiro; BARSA, 1964.

    Estou dando uma analisada nestas duas bíblias…achei algo interessante…breve farei um comentário sobre este tópico!!!!

  20. Mateus 1.23-25
    23 Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, E chamá-lo-ão pelo nome de EMANUEL, Que traduzido é: Deus conosco. 24 E José, despertando do sono, fez como o anjo do Senhor lhe ordenara, e recebeu a sua mulher; 25 E NÃO A CONHECEU ATÉ que deu à luz seu filho, o PRIMOGÊNITO; e pôs-lhe por nome Jesus.

    O texto de Mateus indica claramente que José não mateve relações sexuais com sua esposa ATÉ QUE ela tivesse dado à luz ao seu filho PRIMOGÊNITO (Primeiro filho).

    JOÃO 7.2-5
    E estava próxima a festa dos judeus, a dos tabernáculos. 3 Disseram-lhe, pois, SEUS IRMÃOS: Sai daqui, e vai para a Judéia, para que também os teus discípulos vejam as obras que fazes. 4 Porque não há ninguém que procure ser conhecido que faça coisa alguma em oculto. Se fazes estas coisas, manifesta-te ao mundo. 5 Porque nem mesmo SEUS IRMÃOS criam nele.

    Maria era casada. É muita ignorancia entender que uma família abençoada por Deus, não poderiam corresponder-se amorosamente. Vivendo juntos, na mesma casa e não ter intimidades própria de um casal. Seria até injustiça da parte de Deus, permitir tal tentação para José, seu esposo.
    Convenhamos!

    JÁ FUI CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO!

  21. Caro Reginaldo,

    Favor ler os comentários das datas:

    – Setembro 10, 9:25 PM
    – Junho 9, 6:55 PM

    E veja que estás redondamente enganado.

    Nos comentários citados acima eu já disse e agora eu friso novamente:
    O objetivo do evangelista não é dizer que Maira e José mantiveram relações sexuais, que importância teria dizer isso? É esta a mensagem do Evangelho?

    Ou a mensagem do evangelista é dizer que Jesus foi concebido através do Espírito Santo, SEM QUE Maria tivesse relações sexuais com homem algum.
    Leia os comentarios supracitados e descubra por vc mesmo.

    Sua frase final apóia a minha tese de que todo mal católico, a começar por Lutero, se torna protestante e passa a questionar tudo aquilo que não entendia enquanto se dizia católico.

    A Paz!

  22. Interessante é notar que em NENHUM momento narrativo dos Evangelhos é lida a frase “os filhos de Maria”, mas sim “o filho de Maria”. Ou ainda, não lemos que Jesus era “um dos filhos de José”, ou “um dos filhos do carpinteiro”. Mas lemos “o filho do carpinteiro”.
    Se é “O FILHO”, é pq só havia um!

    PAX DOMINI

  23. Exatamente Ruben!

    E certamente, se houvesse outros, Mateus teria citado em Mt 1, 16

    Paz e bem!

  24. Daniel

    Como evangélica, gostaria de afirmar o seguinte: Já fiz uma pesquisa completa tentando encontrar os irmãos de jesus, mas a verdade é que não existe certeza de nada. Em história da igreja (matéria que leciono), cita-se Tiago como irmão do Sr. Não dou nenhuma ênfase pq pesquisei os pais de Tiago , estando assim, de conformidade c a pesquisa acima, sobre seus pais. Mostrei essa minha pesquisa para professores crentes, que ignoraram e disseram que estou envolvida com o paganismo. Quanta ignorância! Pura alienação! Não adianta, viu gente. Os crentes decidiram que Tiago é irmão carnal de jesus. Já tentei buscar um debate com muitos, inclusive pastores, mas eles não querem argumentar. E os evangs continuam falando e insistindo nos “irmãos de jesus”. Então, eu prefiro a versão de vocês, católicos . Critiquem-me os evangélicos. Não me importo. Apenas sugiro que estudem mais as Escrituras e parem de viver alienados, citando passagens sobre irmãos, sem entender o contexto.

    Graça e paz

    Helena

    • Concordo plenamente com vc. Helena. Sei perfeitamente que JESUS deve ser o TUDO e ÚNICO nas nossas vidas, mas entedendo que essa polêmica sobre outros filhos de Maria causa confusão na cabeça das pessoas. E apesar de Evangélica, respeito e acredito em Maria como intercessora, justamente porque nos pés da Cruz, esse foi o exemplo de Jesus, ao dizer: “… filho, eis aí a tua mãe…

  25. […] + lidos Religião ou seita?Silas Malafaia na BandJesus teve irmãos?666 é o número da besta?São Jerônimo e a BíbliaLutero, por LuteroCarnaval: quem estipula o […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: