Um equívoco elementar

Conto-lhes um causo:

Estava eu, em pleno final de semana passado, transitando pela rua quando me deparei com umas respeitosas senhoras que caminhavam distribuindo jornais.

Eu, como sempre solícito, estendi a minha mão e recebi um exemplar. Até porque eu já imaginava que se tratava de um editorial protestante, e eu sempre gosto de dar umas olhadelas para observar os absurdos que estão falando por aí… (é assim desde o século XV!)

Tudo bem, eu já tinha certeza que iria me deparar com algum absurdo, mas desta vez pegou pesado.
Na gíria pugilista: “golpe baixo”!

E bem baixo!

A matéria da capa trazia a manchete “Culto dos 450 anos do Evangelho lota o Maracanã”.
De início, eu fiquei assustado. Achei que os protestantes, após terem retirado livros da Bíblia, tivessem criado um novo Evangelho…

Talvez retangular, desta vez… Pois o quadrangular já inventaram.

Abri o exemplar, na sede de me esclarecer, e vi que, na verdade, estavam se referindo ao Evangelho de Jesus Cristo mesmo. Ufa!
Mas tive uma nova surpresa.

A matéria dizia que a festa comemorava 450 anos da chegada do Evangelho ao Brasil. (talvez a pessoa que criou a manchete interna não tenha sido a mesma que criou a da capa. Ou a manchete da capa não passou de uma jogada para chamar a atenção de pessoas mais esclarecidas)

Mas o fato é que, segundo relata o jornal, o Evangelho chegou ao Brasil no ano de 1557.

Ora, como sempre, vemos que nossos irmãos protestantes são bem atrasadinhos…
Depois de inventar outra Bíblia após 1500 anos, agora dizem que foram os primeiros a chegar com o Evangelho ao Brasil em 1557, sendo que os primeiros foram os jesuítas em 1549 conduzidos por Padre Manoel da Nóbrega.

Enfim, tirando esses erros cronológicos, podemos observar que o editor do jornal faltou às aulas de história da escola!
Ele diz na matéria do jornal:
O início da propagação do Evangelho no Brasil deu-se em 10 de março de 1557, quando um grupo de franceses se reuniu no Forte Coligny, Rio de Janeiro, para a realização de um culto celebrado pelo Pr. Pierre Richier. O local era conhecido também como Ilha de Sergipe, atual Baía de Guanabara. A cerimônia foi um marco por ser o primeiro culto protestante em terras brasileiras, assim como as primeiras perseguições marcaram a história.

O governador Nicolau Durand Villegagnon participou do rito e até se converteu. No dia seguinte, traiu todos, mandando executar e jogar ao mar da Baía vários cristãos, dentre eles, os pastores Jean Del Burdel, Mattrion Verneuil e André de La Font. Jean Jacques de Balleur fora executado com forte pancada na nuca, com a ajuda do Pe. José de Anchieta, sob a justificativa de que era para reduzir o sofrimento”, resume o presidente do Presbitério do Rio de Janeiro e pastor da igreja presbiteriana do Brasil, Guilhermino Cunha. “Por essa razão, ele [o padre] não foi até hoje canonizado”, completa.”

Mentira!

Qualquer pessoa mais esclarecida (ou curiosa) iria perguntar: o que os franceses estavam fazendo no Brasil? O Brasil não era uma colônia portuguesa???

Esqueceram de mencionar, no jornal, que esses franceses vieram parar aqui no Brasil por consequência da desordem sanguinária causada pela Reforma protestante na França.
Os franceses chegaram em 26 de fevereiro de 1557, e pelo que consta os jesuítas, conforme carta de Villegagnon (então católico), não se mostraram hostis com os novos habitantes.

Nicolau Durand Villegagnon chegou ao Rio de Janeiro em 1555, e ao contrário do que diz o jornal de R R Soares, ele não havia se tornado protestante.

Também é notório que os sujeitos citados no jornal como assasinados com o auxílio de Padre José de Anchieta, não foram assassinados, mas retornaram com vida para a Europa em 4 de janeiro de 1558.
(O jornal de R R Soares relata que eles foram assassinados no dia seguinte ao culto, que seria 11 de março de 1557)

Como eu disse, golpe baixo… Quem não tem acesso à informação acaba caindo na lábia de R R Soares.

Já dizia Lutero: “Que mal há contar uma boa e grossa mentira…”
Muito bem, R R Soares, seguindo muito bem Lutero. És um exemplar pupilo!

Quem quiser comprovar pode acompanhar o estudo a respeito da vida de Villegagnon em http://www.marcillio.com/rio/hivilleg.html, ou pesquisar outras fontes.

Anúncios

4 Respostas

  1. Bom texto .

    Mas eu não julgo nada , eles só pensam que estão certos ….ou querem que a gente acredite nisso .

  2. Novamente (utilizando sua gíria pugilista) vc deu um nocaute neles, o que me fez estar aqui lendo seus textos é que vc mata a cobra e mostra o pau rsssssss, as referências são ótimas! Grato pela cultura e espiritualidade adquirida.

  3. Ufa! AINDA BEM QUE DEIXEI O CATOLICISMO ROMANO PRA NUNCA MAIS VOLTAR! HÁ TRINTA ANOS ATRÁS, ERA OBRIGATÓRIO NA MINHA ESCOLA SALTAR A MATÉRIA DE HISTÓRIA ONDE MOSTRAVA AS ATROCIDADES COMETIDAS PELA IGREJA CATÓLICA, BEM COMO O QUE LEVOU LUTERO A PROSTESTAR CONTRA TAIS ACONTECIMENTOS. SE VIVESSEMOS OS TEMPOS BÍBLICOS, TENHO CERTEZA QUE LUTERO SERIA COLOCADO NA GALERIA DOS HERÓIS DA FÉ. OUTROSSIM, NÃO FORAM OS PROTESTANTES QUE TIRARAM OS “SETE LIVROS APÓCRIFOS DA BÍBLIA”. ELES FORAM ADICIONADOS PELO ROMANISMO. MAIS NÃO SE PREOCUPEM. A IGREJA CATÓLICA IRÁ DURAR, PELO MENOS ATÉ O CP. 17 DE APOCALIPSE. PORÉM, DEPOIS DISSO, SÓ HAVERÁ JÚBILO NOS CÉUS PELA SUA QUEDA.
    GRAÇAS A DEUS

  4. Os editores de jornais evangélicos necessitam urgentemente de aprenderem sobre história do Brasil, e não ficarem distorcendo as já existentes com que intenção? É óbvio, ganhar notoridade e arrebanhar incautos. Parabens por ter esclarecido essepa mentira deslavada.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: