O egoísmo

Sem dúvida alguma, a principal causa de o mundo encontrar-se na situação atual se resume a uma palavra: egoísmo.
Jamais a natureza foi tão explorada para enriquecimento pessoal, jamais houve tantas guerras religiosas e crises políticas entre países e entre compatriotas.

Sinto-me muito incomodado com este egoísmo que visa o bem estar individual sem escrúpulos a querer fazer prevalecer-se sobre um bem comum da sociedade como um todo, ou simplesmente de um outro indivíduo.

Por estes motivos, sou extritamente contra o pensamento egoísta de pessoas que valorizam a vida de seus entes queridos em detrimento da vida de outras pessoas.

Pensamento este que pode pertencer, ao mesmo tempo, a uma pessoa que defende a pena de morte: “você não é a favor da pena de morte porque não teve um parente assassinado“, ou a uma pessoa que defende o aborto “você não é a favor do aborto porque não tem um parente que engravidou ‘sem intenção’“.

Mas desta vez a semelhança é coincidência, pois eu estou me referindo à pesquisa de células-tronco embrionárias, pois tive a minha posição questionada ao escutar a suposição: “você não é a favor porque não possui um parente que necessita desta pesquisa para ser curado“.

A esta pessoa devo dizer que sou contra porque a pesquisa com células-tronco embrionárias fere a dignidade humana em última instância, através de um critério de seleção altamente imoral e anti-ético. E, justamente por não ser egoísta, como ser humano consigo me sentir ofendido com tratamento descartado a um ser, VIVO e HUMANO. Tratamento covarde disfarçado sob um argumento que, por ser nobre, torna-o contraditório.

Ora… Este embrião poderia ser um parente querido de alguém.
Daí o questionamento volta para o rementente: “Mentalize o seu parente querido e responda: você o congelaria para que ficasse à disposição do descarte por cientistas?”

E acabamos por relativizar a questão. Este é o erro.
A vida não é relativa, é absoluta!

Destruição de vida humana não pode ser considerada avanço da ciência!
Este seria mais um valor, o principal valor, perdido pela sociedade.

Evolução da ciência é a experiência comandada por um cientista brasileiro, que conseguiu que os passos de um robô fossem comandados pelo cérebro de uma macaca, estando ambos a 11.000km de distância entre si.
A experiência  foi liderada por Miguel Nicolelis, uma das maiores referências em neurociência do mundo.

A descoberta deve possibilitar o tratamento de pessoas que tiveram lesão de medula, perderam o movimento das pernas e não podem andar.
O primeiro teste deve ser feito com um paciente brasileiro. “O primeiro experimento clínico eu espero que seja feito no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo, no Brasil, porque o meu sonho é que o primeiro ser humano a se beneficiar dessa tecnologia, dessa descoberta, seja um brasileiro. Em dois, três anos eu espero que um brasileiro volte a andar e consiga de novo ter a alegria de poder explorar o mundo e se restabelecer plenamente como ser humano”, comenta o neurocientista.

Tenhamos o orgulho da evolução humana ao utilizar a inteligência para o bem comum de TODA a sociedade.

Isto sim pode ser considerado evolução, além de estar dentro dos padrões éticos e morais.

Sejamos coerentes…

Que o Deus todo-poderoso tenha misericórdia de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: