Igreja Católica cresce mais na África

A presença da Igreja Católica cresce na África acima da média mundial, tanto em número de batizados (22%) como em número de sacerdotes (23,24%).
É um dos dados que se desprende do Annuarium Statisticum Ecclesiae, cujo conteúdo está sendo dado a conhecer estes dias, segundo informou L’Osservatore Romanoem 18 de maio.

O Anuário, preparado pelo Departamento Central de Estatística da Santa Sé e editado pela Libreria Editirce Vaticana, oferece dados estatísticos e gráficos que mostram os principais indicadores sobre a ação da Igreja nos cinco continentes no período 2000-2006.

Entre estes indicadores, refere-se especialmente à distribuição geográfica dos fiéis, à evolução da oferta dos serviços pastorais e à concentração das diversas categorias de operadores pastorais sobre cada território.
Segundo os dados, o número de católicos no âmbito mundial cresceu nos últimos sete anos em 8,24%, a um ritmo quase paralelo ao crescimento global da população (8,19%). No total, o número global de batizados passou de 1,04 bilhão no ano 2000 a 1,13 bilhão em 2006, 17,3% da população mundial.

Contudo, este crescimento é diferente por continentes: assim, na África, o crescimento do número de batizados (de 130 milhões no ano 200 a 158,3 em 2006) é superior ao crescimento populacional, com o qual a porcentagem de católicos de origem africana passou a constituir 14% do global de batizados.
Na Ásia, a porcentagem se mantém estável, enquanto na Europa o crescimento do número de batizados é inferior a 1%. Contudo, esta porcentagem, ao ser maior que a do crescimento global da população, significa uma leve melhoria com relação a anos anteriores. Na América e na Oceania (com um crescimento de 8,4% e 7,6%, respectivamente), os católicos crescem abaixo do número de habitantes. Contudo, os católicos americanos continuam supondo quase a metade dos católicos do mundo inteiro.                     

Mais sacerdotes

Com relação aos operadores pastorais, o número de bispos do mundo cresce em 7,86%, especialmente no caso dos prelados procedentes da Ásia (14,83%), seguida da América (9,09%), África e Oceania (ao redor de 6%) e Europa (4,41%). Contudo, os continentes que continuam contribuindo com o maior número de bispos continuam sendo a Europa e a América, que juntas supõem 70%.

Com relação ao número de sacerdotes, tanto diocesanos como religiosos, crescem 0,51% no mundo, passando de 405.178 a 407.262, em 2006. Contudo, a média não reflete a enorme disparidade entre continentes, já que a África cresce 23,24% e a Ásia, 17,71%, enquanto a América se mantém e a Europa e a Oceania diminuem 5,75% e 4,37%, respectivamente.

Na Europa, a população sacerdotal diminui (se antes os sacerdotes europeus representavam 51% do total mundial, atualmente estão 3 pontos abaixo deste número). O número global de fiéis por sacerdote se situa nos 2.800 (dado em aumento com relação ao ano 2.000) ainda que onde mais aumenta o número de fiéis por sacerdote é na Europa. Na África, ainda que a situação melhora, a proporção continua sendo elevada (4.729 fiéis por sacerdote).

Dentre os dois grupos de sacerdotes, diocesanos e religiosos, crescem globalmente os primeiros (2%) enquanto os outros diminuem (2,31%).
Os religiosos que não foram ordenados sacerdotes aumentam, ainda que com notáveis diferenças: enquanto diminuem na Europa (-16,83%) e na Oceania (-16,83%) aumentam enormemente na Ásia (30,63%) e na África (8,13%). A Europa continua tendo relativamente mais religiosos (34,62%), ainda que em clara diminuição.

Com relação às religiosas, ainda que seu número continua sendo o dobro que de sacerdotes e 14 vezes maior que os religiosos, a tendência é a diminuir. No âmbito global, as mulheres religiosas passaram de 800 mil a 750 mil em 7 anos, ainda que aumentam na África (15,45%) e na Ásia (12,78%).

Por último, aumentam em termos globais os candidatos ao sacerdócio, cerca de 4,43% no âmbito mundial, ainda que com grandes diferenças: enquanto na Europa diminuem quase 16%, na Ásia e na África aumentam.
Por outro lado, as estruturas eclesiais crescem especialmente naqueles lugares com um crescimento mais dinâmico: na Ásia aumentaram 4,86% e na África 3,84%, enquanto na Europa o crescimento é praticamente inexistente. Contudo, segundo os dados do anuário, continua havendo uma grande diferença entre os continentes segundo o número de batizados por circunscrição; assim, na América há uma por cada 528 mil fiéis, enquanto na Europa há uma por cada 381 mil, e na África uma por cada 381 mil; na Ásia, uma por cada 177 mil e na Oceania, uma por cada 112 mil.

O número de centros pastorais também cresce, de 409 mil em 2000 a 428 mil em 2006, mas com grandes divergências: na Europa e na Oceania diminui (2 e 5%, respectivamente), enquanto cresce espetacularmente na Ásia (28,49%) e menos na América (4,79%) e na África (3,2%).

Fonte: Agência ZENIT

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: