Nasceu o primogênito

Está chegando o Natal! Vamos comemorar o nascimento do nosso irmão mais velho! O primogênito!

Sempre que lemos a Sagrada Escritura, precisamos partir de uma premissa: ela foi escrita em uma língua diferente da nossa. Foi escrita numa língua que é muito mais pobre em vocabulário. Quando reconhecemos essa premissa, percebemos que para que possamos compreender melhor a Sagrada Escritura precisamos ter alguma noção dos significados das palavras utilizadas no texto original.

Vejamos, então, o caso da palavra irmão. Embora irmão tenha um primeiro sentido de “irmão de sangue”, a palavra grega usada (adelphos), assim como a palavra correspondente em hebraico e em aramaico, pode designar relações de parentesco mais amplas.

Vejamos exemplos disso:

Não é este o filho do carpinteiro? Não é Maria sua mãe? Não são seus irmãos Tiago, José, Simão e Judas? E suas irmãs, não vivem todas entre nós? Donde lhe vem, pois, tudo isso? E não sabiam o que dizer dele. Disse-lhes, porém, Jesus: É só em sua pátria e em sua família que um profeta é menosprezado.” (Mt 13, 55-57)

Neste trecho acima, as palavras irmãs e família designam conterrâneos. Pessoas que nasceram no mesmo local. Cabe observar que, não raras vezes, nós mesmos utilizamos desse significado para nos referirmos a brasileiros, e até mesmo aos argentinos “hermanos”. Algumas vezes citamos Portugal como sendo nossa “terra mãe”. O parentesco sempre foi e ainda é utilizado para designar nacionalidade.

Acaso não temos nós direito de deixar que nos acompanhe uma mulher irmã, a exemplo dos outros apóstolos e dos irmãos do Senhor e de Cefas?” (I Cor 8, 5)

Neste trecho acima, a palavra irmã designa uma pessoa que pratica a mesma fé. Uma mulher cristã. Assim como o trecho anterior também diz “E suas irmãs, não vivem todas entre nós?”.

Num daqueles dias, levantou-se Pedro no meio de seus irmãos, na assembléia reunida que constava de umas cento e vinte pessoas, e disse: ‘Irmãos, convinha que se cumprisse o que o Espírito Santo predisse na escritura pela boca de Davi, acerca de Judas, que foi o guia daqueles que prenderam Jesus.” (At 1, 15-16)

Mais uma vez, a palavra irmão designa uma pessoa que pratica a mesma fé.

Notoriamente, a palavra irmão, na Bíblia, toma sentido mais abrangente, designando parente mais, ou menos, afastado e também designando compatriota. Neste trecho de At 1, 15-16 vemos que o significado de irmão passa para parentesco mais profundo pela comunhão na aliança. Os cristãos, discípulos de Cristo, são irmãos de Cristo:

Disse-lhes Jesus: Não temais! Ide dizer aos meus irmãos que se dirijam à Galiléia, pois é lá que eles me verão.” (Mt 28, 10)

Disse-lhe Jesus: Não me retenhas, porque ainda não subi a meu Pai, mas vai a meus irmãos e dize-lhes: Subo para meu Pai e vosso Pai, meu Deus e vosso Deus.” (Jo 20, 17)

Portanto, irmãos, escolhei dentre vós sete homens de boa reputação, cheios do Espírito Santo e de sabedoria, aos quais encarregaremos este ofício.” (At 6, 3)

Os irmãos, informados disso, acompanharam-no até Cesaréia e dali o fizeram partir para Tarso. A Igreja gozava então de paz por toda a Judéia, Galiléia e Samaria. Estabelecia-se ela caminhando no temor do Senhor, e a assistência do Espírito Santo a fazia crescer em número.” (At 9, 30)

Os apóstolos e os irmãos da Judéia ouviram dizer que também os pagãos haviam recebido a palavra de Deus.” (At 11, 1)

Ele, acenando-lhes com a mão que se calassem, contou como o Senhor o havia livrado da prisão, e disse: Comunicai-o a Tiago e aos irmãos. Em seguida, saiu dali e retirou-se para outro lugar.” (At 12, 17)

Pois não quero que ignoreis, irmãos, como muitas vezes me tenho proposto ir ter convosco. (Eu queria recolher algum fruto entre vós, como entre os outros pagãos), mas até agora tenho sido impedido.” (Rm 1, 13)

Irmãos de Cristo porque fazem como ele a vontade do Pai:

Todo aquele que faz a vontade de meu Pai que está nos céus, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe.” (Mt 12, 50)

Filhos do mesmo Pai, do qual ele é o primogênito:

Responderá o Rei: – Em verdade eu vos declaro: todas as vezes que fizestes isto a um destes meus irmãos mais pequeninos, foi a mim mesmo que o fizestes.” (Mt 25, 40)

Os que ele distinguiu de antemão, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que este seja o primogênito entre uma multidão de irmãos.” (Rm 8, 29)

para que santificador e santificados formem um só todo. Por isso, (Jesus) não hesita em chamá-los seus irmãos” (Hb 2, 11.17)

E entre os quais reina o amor fraterno:

Amai-vos mutuamente com afeição terna e fraternal. Adiantai-vos em honrar uns aos outros.” (Rm 12, 10)

A respeito da caridade fraterna, não temos necessidade de vos escrever, porquanto vós mesmos aprendestes de Deus a vos amar uns aos outros.” (1Ts 4, 9)

Em obediência à verdade, tendes purificado as vossas almas para praticardes um amor fraterno sincero. Amai-vos, pois, uns aos outros, ardentemente e do fundo do coração.” (1Pd 1, 22)

Nós sabemos que fomos trasladados da morte para a vida, porque amamos nossos irmãos. Quem não ama permanece na morte.” (1Jo 3, 14)

Portanto, podemos concluir que todos aqueles que se utilizam de trechos bíblicos que se referem aos discípulos como irmãos de Cristo e de outros trechos que se referem a Jesus como primogênito com o objetivo de restringir o sentido bíblico de irmão ao sentido estrito da palavra (irmão de sangue), termina por negar a sua própria filiação divina que Jesus lhe revela.

A filiação divina deve ser o centro de nossas vidas, pois agora somos filhos de Deus (1 Jo 3,2). “Se somos filhos, também somos herdeiros: herdeiros de Deus e co-herdeiros de Cristo, pois sofremos com Ele, para sermos também com Ele glorificados.” (Rom 8, 16-17). A consciência da filiação divina nos remete à identidade do homem: filho de Deus. Saber-se filho de Deus é o fundamento da vida cristã.

“Quando Jesus viu sua mãe e perto dela o discípulo que amava, disse à sua mãe: Mulher, eis aí teu filho. Depois disse ao discípulo: Eis aí tua mãe. E dessa hora em diante o discípulo a levou para a sua casa.” (Jo 19, 26-27)

Que Maria Santíssima, nossa mãe, que recebeu Jesus Cristo com pureza, humildade e devoção nos ajude a nos reconhecermos filhos de Deus. Amém!

(Este texto foi elaborado com a ajuda dos estudos da Bíblia de Jerusalém e dos ensinamentos de São Josemaria Escrivá.)

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: